LOGO-DO-MEMORIA-&-ARTE.png
LOGO-DO-MEMORIA-&-ARTE.png

© 2019 Memória & Arte. Todos os direitos reservados.

PROJETO
MÃOS NEGRAS, MÃOS HÁBEIS: SALVAGUARDA DE MANUSCRITOS PRODUZIDOS POR NEGROS LIBERTOS NO SÉCULO XIX NA BAHIA

Este projeto teve como objetivo recuperar 20 documentos manuscritos pertencentes ao acervo da Associação Protetora dos Desvalidos/APD (Antiga Sociedade Protectora dos Desvalidos/SPD), todavia, ao iniciarmos os trabalhos descobrimos que tais documentos faziam parte de atas administrativas que contavam a história da instituição. E decidimos deixá-los no formato original, como atas, e no total foram mais de 500 fólios recuperados, incluindo a restauração, digitalização, transcrição, encadernação e douração.

 

O processo foi longo, durou de 2018 a 2020, foi financiado pela Prince Claus Fund e Whiting Foundation, da Holanda, através de um edital lançado em 2017, First Aid to Documentary Heritage under Threat, Cultural Emergency Response, cujo resultado foi divulgado em 2018, com um aporte financeiro de €14.483,00, de controle CER I.2018.067 13. Ao total foram 3 atas: a 1ª referente ao ano de 1832 a 1847; a número 2, de 1862-1869; e a número 3, de 1884 a 1890; e um livro de sócios, de 1857 a 1880, e entre eles consta o famoso intelectual baiano e abolicionista Manoel Querino.

 

O estado de conservação deste acervo variava: a ata 1 apresentava fungos, manchas de umidade, ataques de baratas, ratos e brocas, encadernação desgastada e inapropriada para a época da produção escrita e com título errado, alguns fólios ácidos e soltos. O tratamento consistiu em higienização, desfungamento; reencadernação; banho químico. O restauro foi feito em papel algodão para o enxerto e papel japonês maruishi 9gr, cream. É composto de 100 fólios, escritos em recto e verso, e todos já foram transcritos e digitalizados, gerando 203 imagens trabalhadas. Essa documentação especificamente, além do Prince Claus Fund, venceu o Mow/Brasil Unesco 2018, recebendo o selo de proteção patrimonial, As principais notícias acerca do chancelamento pelo MOWBrasil/UNESCO 2018 estão nos links:

 

 

  1. http://atarde.uol.com.br/brasil/noticias/2013622-documento-de-1832-ganha-certificacao-da-unesco-apos-ser-restaurado

  2. https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2018/10/23/manuscrito-de-grupo-centenario-da-bahia-e-de-amparo-aos-negros-sera-incluido-no-registro-nacional-de-programa-da-unesco.ghtml

  3. http://mow.arquivonacional.gov.br/index.php/not%C3%ADcias/121-entrega-de-certificados-de-registro-mem%C3%B3ria-do-mundo-2018.html

  4. http://www.jacuipenoticias.com/Noticias/outubro-2018/desvalidos.html

  5. https://uranohistoria.blogspot.com/2018/11/

 

A ata 2 apresentava avançado estado de degradação, com perda de suporte, oxidação da tinta ferrogálica, folhas craqueladas, soltas, lombada partida. O tratamento consistiu em desmonte, um mapa de caderno, higienização manual, restauração do miolo com preenchimento com enxerto de papel algodão, papel japonês maruishi cream 9gr, reforço dos cadernos, banho químico com hidróxido de cálcio para limpeza e de fitato de cálcio para tratamento de estabilização da tinta ferrogálica; foi necessário reencadernar sem aproveitamento da capa porque a mesma não era adequada. O documento é formado por 151 fólios escritos em recto e verso. Foi feita a digitalização e a transcrição de um total de 303 imagens.

 

A ata 3 estava em degradação média, com capa em percalux (inadequada para o século 19), folhas soltas, lombada solta, costura partida, manchas de acidez, degradação do papel, capa solta e folhas rasgadas. Fólios de tamanhos diferentes e ora escrito em tinta ferrogálica e ora em tinta orgânica calcinada. O documento tem 284 fólios que já foram transcritos e digitalizados, gerando 510 imagens. Assim, o tratamento foi troca da encadernação, costura de cadernos, reconstrução de lombada, mapa de caderno, higienização, banho de hidróxido de cálcio, restauração dos fólios rasgados utilizando papel japonês maruishi cream 10gr.

 

O Livro de Sócios tinha capa em couro marrom, com brasão imperial e gofragem, em estado avançado de degradação, já apresentando o tanino, ação de cupim, oxidação das duas cantoneiras de ferro, folhas soltas, costura rompida, lombada solta, quebrada, com perda de suporte, pasta mofada, solta, com rasgos, bordas da pasta decorada também em gofragem. Na lombada havia preso com durex uma tira de papel com o título datilografado. Número total de páginas 102, escrito em tinta ferrogálica, gerando 204 imagens. O tratamento consistiu em fazer um mapa de caderno, higienizar manualmente, desmontar, fazer restauração do miolo com preenchimento com enxerto de papel algodão, papel japonês maruishi cream 9 gr, reforço dos cadernos, limpeza e aproveitamento das cantoneiras, limpeza e hidratação do couro da capa, reaproveitamento do couro na capa nova revestida por creative (um tipo de tecido) com cor próxima ao couro, nova costura dos cadernos, reencadernação, acondicionamento em caixa de preservação. E foi feita uma digitalização e transcrição.

 

A primeira ata é a única que, embora esteja custodiada na APD/SPD, não diz respeito à sua história e sim à “Irmandade Devoçaõ de Nossa Senhora da Solidade dos Desvalidos”, uma antiga instituição composta apenas por negros, ex-escravos e com trabalho de ganho, cujo objetivo era o auxílio mútuo entre seus Irmãos. A ata foi produzida entre os anos 1832 e 1847, em tinta orgânica, em papel avergoado. É um documento importantíssimo para a história da presença dos negros na cidade do Salvador no século XIX. Esta Irmandade foi fundada em 1832 e extinta em 1849, causada por uma briga interna por alocação de um cofre de 3 chaves. Os remanescentes desta Irmandade dos Desvalidos, após a briga, o grupo que perdeu a votação resolveu sair, dividiram judicialmente os bens e abriram uma outra instituição – a Sociedade Protectora dos Desvalidos (SPD), e pelo que se sabe, a Irmandade dos Desvalidos foi extinta.

 

As atas de número 2 e 3 já trazem a história do SPD, sua formação e o evidente e claro desligamento da Irmandade dos Desvalidos, finalizando os laços que os mantinham juntos, porém, o ideal de uma sociedade mutualista se manteve com a SPD.

 

A Sociedade Protetora dos Desvalidos, hoje Associação Protetora dos Desvalidos, é uma instituição civil, privada, localizada no Centro Histórico do Pelourinho, um espaço tombado pela UNESCO como patrimônio mundial, em Salvador, Bahia, Brasil.

 

Foi importantíssimo o apoio financeiro da Prince Claus Fund e a Whiting Foundation em virtude do alto custo da recuperação dos manuscritos, os quais ainda sequer tinham sido inventariados, quase todos escritos em tinta ferrogálica, que contam a história de sua fundação e a trajetória de ascensão da Irmandades de negros na Bahia: são atas, circulares, requerimentos, registros de despesas, registros de sócios, cartas, entre outros. O espaço cultural se encontra completamente associado ao espaço em que se situa, pois se sabe que o Pelourinho é um bairro marcado por uma população negra, rica em manifestação cultural.

 

São documentos de importância ímpar, pois quase toda a memória pretérita brasileira encontra-se em suporte papel, todavia, esse acervo encontrava-se em avançado estado de degradação, com grande chance de desaparecer e com isso surgir uma lacuna na história dos negros no mundo. Chegou ao Ateliê Memória e Arte, sob a responsabilidade da Profa. Dra. Vanilda Salignac de Sousa Mazzoni, restauradora, por uma necessidade da SPD de recuperar tão precioso acervo e em virtude da emergência de ações de salvaguarda, pois é uma instituição de poucos recursos financeiros e que realmente precisava de apoio financeiro para manutenção do seu patrimônio documental.

 

Todo o trabalho de recuperação do acervo, incluindo o tratamento, transcrição, digitalização, encadernação, conservação, propostas para editais, pesquisas históricas e a construção do site foi feito por uma equipe: Dra. Vanilda Salignac Mazzoni, Dra. Alícia Duhá Lose, Dr. Douglas Guimarães Leite, Dr. Fabiano Cataldo de Azevedo, Dra. Lívia Borges Souza Magalhães, Me. Lucas Ribeiro Campos, Esp. Maria Cláudia Santiago, Daniel Cavalcanti e José Carlos Barbosa.

 

 

BLACK HANDS, SKILLFUL HANDS: SAFEGUARD OF MANUSCRIPTS PRODUCED BY FREED BLACK PEOPLE IN THE NINETEENTH CENTURY IN BAHIA

 

 

This project aimed to restorer 20 manuscript documents belonging to the collection of the Associação Protetora dos Desvalidos / APD (antiga Sociedade Protectora dos Desvalidos / SPD), however, when we started the work we discovered that such documents were part of administrative minutes that told the history of the institution . And we decided to leave them in the original format, as minutes, and in total more than 500 folios were recovered, including restoration, digitization, transcription, binding and gilding.

 

The process was long, lasted from 2018 to 2020, was financed by the Prince Claus Fund and Whiting Foundation, from the Netherlands, through an announcement launched in 2017, First Aid to Documentary Heritage under Threat, Cultural Emergency Response, the result of which was released in 2018 , with a financial contribution of € 14,483.00, control CER I.2018.067 13. In total there were 3 minutes: the first referring to the year 1832 to 1847; number 2, from 1862-1869; and number 3, from 1884 to 1890; and a book of partners, from 1857 to 1880, including the famous Bahian intellectual and abolitionist Manoel Querino.

 

The conservation status of this collection varied: minutes 1 had fungi, moisture stains, attacks by cockroaches, rats and drills, worn and inappropriate binding for the time of written production and with the wrong title, some acid and loose folios. The treatment consisted of cleaning, defogging; re-binding; chemical bath. The restoration was done on cotton paper for grafting and Japanese paper maruishi 9gr, cream. It consists of 100 folios, written in straight and back, and all have already been transcribed and digitized, generating 203 worked images. This documentation specifically, in addition to the Prince Claus Fund, won the Mow / Brasil Unesco 2018, receiving the patrimonial protection seal. The main news about the chancellery by MOWBrasil / UNESCO 2018 are at the links:

 

 

1. http://atarde.uol.com.br/brasil/noticias/2013622-documento-de-1832-ganha-certificacao-da-unesco-apos-ser-restaurado

2. https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2018/10/23/manuscrito-de-grupo-centenario-da-bahia-e-de-amparo-aos-negros-sera-incluido- in-national-registry-of-program-of-unesco.ghtml

3. http://mow.arquivonacional.gov.br/index.php/not%C3%ADcias/121-entrega-de-certificados-de-registro-mem%C3%B3ria-do-mundo-2018.html

4. http://www.jacuipenoticias.com/Noticias/outubro-2018/desvalidos.html

5. https://uranohistoria.blogspot.com/2018/11/

 

Minutes 2 presented an advanced state of degradation, with loss of support, oxidation of the ferrogalica ink, cracked leaves, loose, broken spine. The treatment consisted of dismantling, a notebook map, manual cleaning, restoration of the core with filling with cotton paper graft, Japanese paper maruishi cream 9gr, reinforcement of the notebooks, chemical bath with calcium hydroxide for cleaning and calcium phytate for treatment of stabilization of ferrogálica paint; it was necessary to re-binder without using the cover because it was not adequate. The document consists of 151 folios written in straight and back. A total of 303 images were digitized and transcribed.

 

Minutes 3 were in medium degradation, with percalux cover (unsuitable for the 19th century), loose leaves, loose spine, broken seam, acidity stains, paper degradation, loose cover and torn leaves. Folios of different sizes and sometimes written in boiling ink and now in calcined organic ink. The document has 284 folios that have already been transcribed and digitized, generating 510 images. Thus, the treatment was changing the binding, sewing of notebooks, rebuilding of the spine, notebook map, cleaning, calcium hydroxide bath, restoration of torn folios using Japanese maruishi cream 10gr paper.

 

The Members Book had a brown leather cover, with imperial coat and embossing, in an advanced state of degradation, already showing tannin, termite action, oxidation of the two iron angles, loose leaves, broken stitching, loose spine, broken, with loss of support, moldy paste, loose, with tears, edges of the paste also decorated in embossing. A strip of paper with a typed title was attached to the spine. Total number of pages 102, written in black ink, generating 204 images. The treatment consisted of making a notebook map, hand sanitizing, disassembling, restoring the core with graft filling with cotton paper, Japanese paper maruishi cream 9 gr, reinforcing the notebooks, cleaning and using the angle brackets, cleaning and hydrating the leather of the cover, reuse of leather in the new cover covered by creative (a type of fabric) with color close to leather, new stitching of notebooks, re-binding, packaging in a preservation box. And a scan and transcription was done.

 

The first minutes are the only one that, although it is in custody at APD / SPD, does not concern its history, but rather the “Irmandade Devoçaõ de Nossa Senhora da Solidade dos Desvalidos”, an old institution composed only of blacks, ex-slaves and with gain work, the objective of which was mutual assistance between his Brothers. The minutes were produced between the years 1832 and 1847, in organic ink, on thick paper. It is an extremely important document for the history of the presence of blacks in the city of Salvador in the 19th century. This Irmandade (Brotherhood) was founded in 1832 and ended in 1849, caused by an internal fight over the allocation of a 3-key safe. The remnants of this Irmandade dos Desvalidos, after the fight, the group that lost the vote decided to leave, judicially divided the assets and opened another institution - the Sociedade Protectora dos Desvalidos (SPD), and as far as is known, the Irmandade dos Desvalidos was extinct.

 

The minutes of numbers 2 and 3 already bring the history of the SPD, its formation and the evident and clear disconnection of the Irmandade dos Desvalidos, ending the ties that kept them together, however, the ideal of a mutual society remained with the SPD.

 

The Sociedade Protetora dos Desvalidos, today Associação Protetora dos Desvalidos, is a private, civil institution, located in the Historic Center of Pelourinho, a space classified by UNESCO as a world heritage site in Salvador, Bahia, Brazil.

 

The financial support of the Prince Claus Fund and the Whiting Foundation was extremely important due to the high cost of recovering the manuscripts, which had not even been inventoried, almost all written in black ink, which tell the story of its foundation and the ascension trajectory of the Black Brotherhoods in Bahia: are minutes, circulars, requirements, expense records, membership records, letters, among others. The cultural space is completely associated with the space in which it is located, as it is known that Pelourinho is a neighborhood marked by a black population, rich in cultural manifestation.

 

They are documents of unequal importance, since almost all the past Brazilian memory is on paper, however, this collection was in an advanced state of degradation, with a great chance of disappearing and with this a gap in the history of blacks in the world appears. . He arrived at Ateliê Memória e Arte, under the responsibility of Profa. Dr. Vanilda Salignac de Sousa Mazzoni, restorer, due to the need of the SPD to recover such a precious collection and due to the emergence of safeguard actions, as it is an institution with few financial resources and that really needed financial support to maintain its assets documentary.

 

All the work to recover the collection, including treatment, transcription, digitization, binding, conservation, proposals for public notices, historical research and the construction of the website was done by a team: Dr. Vanilda Salignac Mazzoni, Dr. Alícia Duhá Lose, Dr Douglas Guimarães Leite, Dr. Fabiano Cataldo de Azevedo, Dr. Lívia Borges Souza Magalhães, Me. Lucas Ribeiro Campos, Esp. Maria Cláudia Santiago, Daniel Cavalcanti and José Carlos Barbosa.